coworklisboa – 2010 a 2020

Precisamente a 7 de Janeiro de 2010, publicava neste blog o artigo com o título:
coworklisboa: Novo espaço de coworking em Lisboa!
Onde entrevistava pela primeira vez Fernando Mendes, Founder & CEO [Chief Error Officer] do coworklisboa.
Sobre um novo espaço de coworking que iria abrir portas em Fevereiro desse ano em Lisboa com o sugestivo nome de – coworklisboa.
A entrevista onze anos depois a Fernando Mendes (FM), creio que era obrigatória. Em virtude do trabalho realizado no coworklisboa e do desafio que o futuro representa para o conceito de coworking.

“os espaços de Coworking abriram o campo para todo o ecossistema empreendedor e criativo lisboeta.” Fernando Mendes

Passaram rápido estes 11 anos?

FM – Passaram rápido mas deixaram uma marca indelével em todos e todas as pessoas que ali trabalharam. Foram mais de 7000 coworkers, de 2010 a 2020.

O quanto ganhou Lisboa com o coworking?

FM – A cena Coworking de Lisboa é indissociável do Coworklisboa e da sua história e dos seus coworkers.
O movimento começou na cidade antes mesmo do boom do empreendedorismo e do nomadismo digital no país.
A partir de 2012, a cidade beneficiou imenso da chegada destes novos profissionais. Tudo aconteceu de forma orgânica, sem um plano pre-definido. No fundo, os espaços de Coworking abriram o campo para todo o ecossistema empreendedor e criativo lisboeta.

Como evolui-o o coworklisboa?

FM – O Coworklisboa teve de fechar portas em Janeiro de 2020. Exactamente dez anos depois da abertura. A causa foi um aumento de renda de 30% por parte do proprietário da LX Factory. Ironicamente, algumas semanas depois a pandemia fecharia todos os espaços da cidade. Não existem bruxas, mas… :-)

“Uma coisa é certa, as pessoas querem estar juntas. Isso não se vai alterar.” Fernando Mendes

Que futuro esperam os espaço de coworking em 2021?

FM – Coworking é agora um software de acesso livre e aberto a todos. Os espaços pioneiros originais terão sempre um nicho específico, mas a chegada de novos players, oriundos dos mais variados sectores, com destaque para o imobiliário, está a mudar drasticamente o figurino do movimento.
A esta mudança, juntam-se outras forçadas pela emergência da situação pandémica.
É cedo e arriscado dizer que tudo o que está a acontecer permanecerá depois desta crise.
Uma coisa é certa, as pessoas querem estar juntas. Isso não se vai alterar.

Com o encerramento do Coworklisboa, não terminou a aventura de Fernando Mendes no coworking, a história continua com um novo volume, o NOW_.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *