Os cartões de visita morreram?

MOO 100 pack

Ainda não, mas o cenário que o Mark Evans apresenta é uma mudança nos tempos.
[Entrentanto o Mark Evans, decidiu fazer alterações no seu blog e não cheguei a tempo de retirar a citação que deu origem a este post].

Se para alguns trocar um vcard ou receber o contacto via ir é coisa banal para outros e posso-vos dizer que neste momento os clientes com que lido ainda preferem o velho cartão de visita.

Por isso na hora de comprar mais cartões de visita, recorro sempre à Moo, onde posso personalizar todos os campos e ter um cartão de óptima qualidade.

9 thoughts on “Os cartões de visita morreram?

  1. Nem vão morrer.

    Trocar cartões de visita é quase um ritual, parte do processo e do protocolo entre empresas.

    Os orientais dão-lhes tanta importância que até ficam aborrecidos se alguém rabisca o número de telefone no verso.

    E nem toda a gente anda com um telemóvel de topo ou sequer sabe que pode receber os contactos via bluetooth.

    O que se ouve mais é “Manda-me um toque para eu ficar com o teu número!” ou “Não tem um cartãozinho?”

  2. Sobre este tema alguém me contou-me que havia outro alguém que oferecia Zippo’s gravadas com os seus contactos.

    Não sendo fumador, não deixaria de recordar tal contacto, nem seria preciso anotar nada no cartão.

  3. Eu também acho que os cartões de visita não vão morrer.
    É bastante mais prático pedir um cartão de visita, do que usar o bluethooth. As empresas de telemóveis e pdas, têm é de saber minimizar este problema, através de soluções que permitem digitalizar os cartões, reconhecendo os contactos dos cartões de visitas, como já acontece no caso do Sony Ericsson P990i.

  4. Por acaso já conhecia o serviço MOO.

    Neste momento (..deve estar mesmo a acabar) estão a oferecer um pack de 10 cartões aos utilizadores da rede social BEBo, uma rede tipo Hi5.

    Eu já mandei vir os meus..

  5. Por Favor quem sabe “QUANDO” e “PORQUÊ” se dobra o canto de um cartão de visita. Obrigado

Comments are closed.