Acessibilidades rodoviárias, onde?

en125-olhao-gmaps.png

Não há melhor desculpa para escrever este post do que o facto do meu vizinho ter falado no futuro Centro Comercial de Olhão.
Para já apenas queria colocar questões relacionadas com as acessibilidades rodoviárias:
Quais vão ser as opções para os utilizadores do Centro Comercial?
Vamos ter um “festival de Marisco” todos os dias na EN125 que atravessa Olhão?
Uma rotunda resolve o problema?
Como é que acham que o acesso se deveria fazer?

This entry was posted in Olhão. Bookmark the permalink.


8 Responses to Acessibilidades rodoviárias, onde?

  1. Não te preocupes, Ricardo, que se for como em Gaia, eles irão construir acessos de alta qualidade – daquele tipo com rotundas que ninguém entende, com subviragens repentinas, saídas onde cabe apenas uma viatura e misteriosas placas que não levam a lado algum. Com um pouco de sorte, tornas a entrar no centro comercial…
    Para não falar do parque de estacionamento. Espero nunca ver uma situação de crise, como um incêndio ou algo assim e aconselho vivamente que, em caso disso, nem sequer tentem ir buscar o carro! É que podem ficar lá dentro.
    Enfim… comércio…

  2. pechanense says:

    Para estas questões também eu gostaria de saber quais as respostas…

    Será uma CEO (Circular Externa de Olhão) e que dará acesso vindo pela Escola da CHASFA?
    Ou será mesmo pela 125 com uma rotunda a colocar onde?

    Não sei, mas gostaria que fosse algo em “grande” que englobasse também o problema de trânsito cá da aldeia!

    🙂

  3. Nadir says:

    Continuo em recuperação da cirurgia que sofri, mas mais calma agora que regressei a casa após ter estado 2 semanas ausente.
    Ainda me encontro um pouco atordoada, mas aos poucos vou regressando, hoje ao retornar ainda me fogem as palavras… por isso desejo apenas um bom fim de semana
    ••. ¸.♥ Beijos ♥ ¸.• ♥≈Nღdir≈♥

  4. Tens sorte aí no Sul… aqui ainda te diziam que a melhor solução era um túnel com radares de 50 Km/h…

  5. vania saraiva says:

    É isto que acho triste numa alma olhanense…em vez de estarem preocupados com o trâsito ( coisa que quem teve a ideia de fazer o ria sopping de certeza que tambem pensou e tentou resolucionar) deviam era agredecer por Olhão estar a evoluir e em vez de terem de se deslocar para Faro para poderem fazer compras poderem fazer na vossa cidade!
    Bem … pois eu como boa Olhanense que sou fico muito contente por a minha cidade estar a evoluir e ter algo que a faça ser ainda mais um ponto de referencia no Algarve!!!

  6. ricardo says:

    Vânia,
    muito obrigado pelo comentário.

    Não sendo natural de Olhão gosto o suficiente para achar que a cidade merece mais.

    A zona histórica recuperada de vez, muitas casas estão em ruínas quando deveriam já estar recuperadas, a tremenda especulação imobiliária é inimiga das cidades que se querem bonitas.
    Como se chama a uma Biblioteca sem livros? Ex-Hospital?

    Com a zona histórica reabilitada e o tal Parque da cidade junto à Chasfa construído seriam motivos mais do que suficientes para Olhão ser uma referencia no Algarve.
    E que venha o Centro Comercial.

  7. Maura Dias says:

    Pois é… mas eu como natural de Olhão tambem acho que a biblioteca foi uma péssima ideia… Poderiam ter aproveitado o edifício e ja que era um hospital deveriam ter feito um hospital novo, porque isso sim é o que temos falta mas… com respeito da Saúde não é só Olhão que está mal mas sim o país todo por isso…não há muito a fazer!
    Agora em relação ao Sopping seja como for vai ser positivo para a cidade, pois são mais e novos postos de trabalho, sempre ” chama” mais pessoas a cidade e tal… Temos que ver as coisas pelo lado positivo …deixem-se de péssimismo porque assim é que não chegam a lado nenhum de certeza!
    Don`t worry be happy…;)

  8. Marco Dias says:

    Isto vai ser o melhor que Olhão já teve, pelo menos alguma coisa de diferente nesta cidade.
    Já estou farto de fOruns e interes, modelos bahhhh
    ~Que venham mais shoppings para o Algarve, que não é só lisboa e Porto que este pais é feito.