Seesmic compra mas ainda não gera lucros

Seesmic compra Ping.fm

Mais uma vez Loic Le Meur, da Seesmic compra uma empresa nos Estados Unidos, mas ainda não gera lucros. Desta vez foi a Ping.fm, uma micro empresa, que era uma central de actualização de perfis em redes sociais. Os co-fundadores, Adam Duffy e Sean McCullogh da Ping.fm, vão rumar a São Francisco para integrarem a equipa Norte Americana da Seesmic.

ping.fm co-founders Sean McCullough, Adam Duffy and Loic Le Meur at SXSW09
Loic Le Meur, Sean McCullough e Adam Duffy na SXSW09.

Com esta aquisição vão reforçar a capacidade da Seesmic em actualizar mais redes sociais. Contam desta forma chegar em 2010 ao primeiro milhão de utilizadores na plataforma.
A Portuguesa Tarpipe, fica cada vez melhor posicionada para uma futura aquisição?

Faz toda a diferença quando temos bons investidores, e podemos maturar o nosso produto tempo suficiente. É esta a minha opinião que resume o trajecto do que tem vindo a tornar-se a empresa criada por Loic.
Sem a necessidade de apresentar um serviço gerador de lucro dentro de um curto espaço de tempo, recorde-se que a ida de Loic para os U.S.A. deu-se no verão de 2007, e a ideia inicial para a Seesmic era ser uma ferramenta para video online.
Mas passado alguns meses terá percebido que esse não era o melhor caminho e com a compra ( Abril de 2008 ) do cliente para o Twitter, Twhirl, mudaria todo um modelo de negócio subjacente à criação da Seesmic.

Segundo o artigo de Om Malik, o modelo de negócio para a Seesmic irá basear-se em anuncios pouco intrusivos e em serviços premium, tendo como referencia o modelo da Evernote e será posto em practica no decorrer de 2010.

No HTC Magic vou passar a utilizar a aplicação da Seesmic em detrimento da Twidroid, para ver que tal se porta.

This entry was posted in Redes Sociais and tagged , , . Bookmark the permalink.


5 Responses to Seesmic compra mas ainda não gera lucros

  1. Manuel Lemos says:

    Esse Loic é um gajo porreiro, mas faz-me uma impressão este pessoal anda a brincar ás startups sem perspectiva de lucrar com o negócio.

    Vocês viram o video do pessoal do OLX no LeWeb? Reparem como o Loic fica espantando que o OLX factura cerca de 1 milhão de dólares só em AdSense.

    http://www.ustream.tv/recorded/2846280

    Porque é que ele fica espantado? Porque raio ele não volta ao planeta Terra e se foca num negócio que realmente dá dinheiro?

    Ou será que ele está à  espera de algum milagre tipo o Google comprar a empresa dele por uma batelada de dinheiro? Tendo em conta que o Google ainda não pôs o YouTube a lucrar, não me parece que o Google se vá meter noutro buraco desses tão cedo.

    Cada um torra o dinheiro dos investidores como entender, mas eu prefiro algo com os pés no chão e não esperar milagres. É melhor algo que dê pouco, mas dê lucro do que torrar o dinheiro todo no casino da Web social.

  2. ricardo says:

    Manuel,
    o Loic com a equipa que têm poderia já ter feito isso mesmo, criar algo que gere lucros por si.
    Sorte a dele que tem amigos com muito capital.

    Será que o Google teria a necessidade de comprar? Acho que podem lançar um serviço destes quando quiserem, apontava mais para uma outra grande empresa que queira ganhar visibilidade na Web Social.

  3. ui says:

    Manuel Lemos,

    Tem ideia das empresas que o Loic fundou e já vendeu ? Este gente anda na onda do criar para vender antes de sequer facturar. Os outros depois que arranjem o modelo de negócio.

    Ricardo,

    A Portuguesa Tarpipe, fica cada vez melhor posicionada para uma futura aquisição??!?! AH AH AH. O tarpipe está moribundo, se é que já não fechou portas. Os “fundadores” já partiram para pastos mais verdes. Só ainda não se sabe…

  4. Manuel Lemos says:

    Pois, o que eu acho é que os investidores têm mentalidade de apostadores de casino. Ficam ali a torrar um monte de dinheiro mesmo sem perspectivas de ter licro e não conseguem parar porque estão viciados na ideia de que um dia lhes vai sair um jackpot como o do YouTube.

    Não é o meu dinheiro, logo não é o meu problema. Porém, acho irritante esta mania de startups sem perspectivas sólidas de lucratividade.

    Fazem muitos contactos, arranjam muitos amigos, fazem eventos interessantes, mas lucro que é bom nas startups, nada.

    Quanto ao Google, foi o que eu disse, não me parece que eles queiram torrar mais dinheiro à toa. Eles não precisam de comprar empresas que não agregam nada ao portfolio deles.

    O que muitas vezes o Google faz é comprar empresas para ficar com os funcionários talentosos, até porque muitas vezes os produtos dessas empresas são fracos em termos de perspectivas de lucratividade. Lembram-se do Jaiku?

    É possível que outra empresa compre, mas pode ser por outros motivos, como por exemplo tirar do mercado produtos gratuitos que concorrem com produtos pagos da empresa compradora.

    Agora comprar empresas só para ter visibilidade, acredito que isso aconteça, mas muitas vezes é tolice porque no fim não agrega nem lucro nem outros proveitos.

    É apenas uma opinião pessoal claro.

  5. Manuel Lemos says:

    ui, sim, já conhecia o Loic. Foi mais um daqueles casos de quem ganhou uns trocados quando vendeu uma empresa à SixApart, talvez para que a SixApart eliminasse um concorrente. Antes disso a história se repetiu, mas isso foi antes da bolha, as empresas compravam-se umas ás outras por valores absurdos.

    http://www.linkedin.com/in/loiclemeur

    Sobre o TarPipe, nunca me debrucei sobre o que fazia exactamente, mas parecia algo como o Yahoo Pipes. Se realmente era isso, está explicado porque não teve muito futuro. Sinceramente até o Yahoo Pipes não sei que futuro aquilo tem.

    Eu conheço um dos fundadores, o Bruno Pedro, desde os dias que trabalhava no SAPO. Um gajo porreiro sem dúvida. Aqui no LinkedIn ainda diz que está no TarPipe, mas realmente pode ser algo já desactualizado.

    http://pt.linkedin.com/in/bpedro